sábado, 20 de setembro de 2008

FEIRA DA MÚSICA

video

FEIRA DA MÚSICA


Alguns ajustes





Testando a rabeca









É batuque



É Brazuka






Nossos tambores

Os tambores artesanais ganham mais espaço na cena cultural de fortaleza a partir de 2004, com a interação de pessoas que tiveram a iniciativa de se unirem e formarem grupos que continuam crescendo e despertando o interesse de um público bastante variado, composto por estudantes, universitários, artesãos, malabaristas e profissionais liberais que têm o prazer de participar de uma atividade cultural. Foi nesse cenário de crescimento que surgiu a necessidade de produzir nossos próprios tambores, para não termos que mandar trazer instrumentos e com eles reproduzir a cultura de onde eles foram feitos.“Somos peritos no quesito inovação, quando se fala em criar soluções e experimentar possibilidades, exercitando a criatividade intuitiva, pois sem ter a pretensão de reinventar a roda, somos bastante inventivos e capazes de aprender com os próprios erros, não aprendi a fazer tambor com nenhum mestre foi simplesmente com o exercício do tentar”. Nós temos em 2008 uma qualidade incontestável na produção de tambores artesanais, usados em diversas manifestações culturais como os maracatus, os reisados, as bandas cabaçais, e os grupos de batuques que estão se tornando cada vez mais autônomos, querendo fabricar seus próprios instrumentos, em conseqüência surge os grupos de quem já fabrica há algum tempo e decide que é hora de ampliar os horizontes partindo para atividades culturais que agregam valor e criam demandas de consumo aos nossos brinquedos contemporâneos.Os tambores Brazuka são produzidos em fortaleza com medidas padrão em polegadas; 8”, 10”, 12”, 14”, 16”, 18”, 20”.

segunda-feira, 7 de abril de 2008

PÍFANOS

. Na feição nordestina a banda de pífanos é uma criação do mestiço brasileiro, que com sua criatividade e intuição musical adaptou o instrumental, dando-lhe a forma típica pela qual é conhecida no folclore brasileiro.

Por toda a região
Nordeste do Brasil e nos estados de Minas Gerais e Goiás são usados várias termos para denominar o conjunto: Banda de Pífanos, Banda de Pife, Música de Pife, Zabumba, Cabaçal, Esquenta-Mulher, Banda de Negro, Terno, Banda de Couro (Goiás), Musga do Mato, Pipiruí ( Minas Gerais).

Assim como a sua denominação varia, a sua composição também tem seÉ um conjunto instrumental de percussão e sopro, dos mais antigos, característicos e importantes da música folclórica brasiinstrumentos básicos são dois pífanos, um surdo, um tarol e um bombo ou zabumba.

leira. Historicamente o pífano remonta à época dos primeiros cristãos, que tinham no pífano, pifes ou pífora, uma maneira de saudar a Virgem Maria nas festas natalinasnsíveis diferenças, mas seus



Em Pernambuco, é composta por dois pífanos, uma caixa, um bombo, um surdo e um tambor.

Em Alagoas, além dos instrumentos básicos acrescenta-se um par de pratos e em certos grupos um triângulo e até um maracá para maior sonoridade.

No Ceará, também acrescentam-se prato, triângulo, caixa e zabumba e em Sergipe o triângulo e o ganzá.

Em Goiás, a Banda de Couro, como é chamada, é composta por bombo, caixa ou tarol e viola.

O pífano é o comandante da banda. É um instrumento semelhante à flauta, feito de taquara, uma madeira muito comum nas matas do sul de Pernambuco. É encontrado em três tamanhos: 65cm a 70cm, chamado Régua Inteiro, 50cm, o Três Quartos e o de 40cm, Régua Pequena. O som do pífano muda de acordo com o tamanho. Cada pífano tem sete orifícios, sendo seis para os dedos e um para os lábios (sopro). O segredo, tanto da confecção quanto da execução do pífano, é passado de pai para filho.

Os componentes das bandas são, na sua maioria, trabalhadores rurais que se ocupam da agricultura de subsistência, trabalhando no "alugado", ou cultivando sua pequena roça. Reúnem-se antes de cada apresentação e repassam o repertório. Não têm formação musical e tudo o que tocam é de ouvido. Entre as músicas mais executadas estão Asa Branca, Valsa, Mulher Rendeira, A Briga do Cachorro com a Onça, Sabiá, Guriatã de Coqueiro, A Ema Gemeu no Pé do Juremá, entre outras.

terça-feira, 18 de março de 2008

BRAZUKA TAMBOR ARTESANAL CEARENSE


Os tambores artesanais ganham mais espaço na cena cultural de fortaleza a partir de 2004, com a interação de pessoas que tiveram a iniciativa de se unirem e formarem grupos que continuam crescendo e despertando o interesse de um público bastante variado, composto por estudantes, universitários, artesãos, malabaristas e profissionais liberais que têm o prazer de participar de uma atividade cultural. Foi nesse cenário de crescimento que surgiu a necessidade de produzir nossos próprios tambores, para não termos que mandar trazer instrumentos e com eles reproduzir a cultura de onde eles foram feitos.“Somos peritos no quesito inovação, quando se fala em criar soluções e experimentar possibilidades, exercitando a criatividade intuitiva, pois sem ter a pretensão de reinventar a roda, somos bastante inventivos e capazes de aprender com os próprios erros, não aprendi a fazer tambor com nenhum mestre foi simplesmente com o exercício do tentar”. Nós temos em 2008 uma qualidade incontestável na produção de tambores artesanais, usados em diversas manifestações culturais como os maracatus, os reisados, as bandas cabaçais, e os grupos de batuques que estão se tornando cada vez mais autônomos, querendo fabricar seus próprios instrumentos, em conseqüência surge os grupos de quem já fabrica há algum tempo e decide que é hora de ampliar os horizontes partindo para atividades culturais que agregam valor e criam demandas de consumo aos nossos brinquedos contemporâneos.Os tambores Brazuka são produzidos em fortaleza com medidas padrão em polegadas; 8”, 10”, 12”, 14”, 16”, 18”, 20”.

Batucantiga


Estes tambores são feitos. De madeira corda e couro.

Neles tão nosso segredo. Eles são nosso tesouro.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

TAMBORES BRAZUKA - CULTURA ARTESANAL

Tambores feitos sob medida;
Aros e bojos de madeira de 8" à 22";
Matéria prima de primeira qualidade;
Bateria de tambores artesanais;
Orçamento e manutenção;
Relacionamento com consumidor;
Encomendas personalizadas;
Sonoridade ancestral;


Bojo de madeira envelhecida;
Rebolos e repiques exclusivos;
Aros de madeira padrão industrial;
Zambumbas, caixas e pífanos;
Utensílios percussivos;
Kaixotes de côco de praia;
Alfaias de todos os tamanhos.

PEÇA JÁ O SEU!!!!!!!!!!